Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Não sejas engraçadinha!

Como é costume dizer nestas lides "Este é um blog sobre tudo e sobre nada"

Não sejas engraçadinha!

Como é costume dizer nestas lides "Este é um blog sobre tudo e sobre nada"

Quatro anos

O que restará de ti

É tudo aquilo que deste

E não o que guardaste

Nos cofres enferrujados

 

O que restará de ti

E de teu jardim secreto

É uma flor esquecida

Jamais fenecida

E tudo que deste

Nos outros, florescerá

Pois aquele que perde a vida

Um dia a encontrará

 

O que restará de ti

É tudo que ofereceste

De braços abertos

Numa manhã ensolarada

E tudo que perdeste

Ao longo da jornada

E tudo que sofreste

Nos outros reviverá

Pois aquele que perde a vida

Um dia a encontrará

 

O que restará de ti

Uma lágrima caída

Um sorriso brotado

Nos olhos do coração

 

É verdade,

O que restará de ti

É o que semeaste, dividiste

Com os que buscam a felicidade

E tudo que semeaste

Nos outros germinará

Pois, aquele que perde a vida

Um dia a encontrará

(Obrigada Miguel Falabella, por nos teres dado a conhecer este texto)

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

imagem de perfil

Blogs Portugal

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Facebook

Follow

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D