Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Não sejas engraçadinha!

Como é costume dizer nestas lides "Este é um blog sobre tudo e sobre nada"

Não sejas engraçadinha!

Como é costume dizer nestas lides "Este é um blog sobre tudo e sobre nada"

ORGULHO!

Sim, vou falar outra vez no festival. Juro que é a última vez que falo nisto.

No sábado à noite, com medo que me desse o sono, montei a tábua de passar a ferro na sala e foi um despachar de roupa, enquanto ouvi as músicas todas.

Já li algumas coisas sobre a festa... coisas que me fazem suar... que me deixam transtornada.

Realmente, há pessoas que só se levantam da cama se for para denegrir ou dizer mal do mundo à sua volta. Pessoas tristes!

 

A música vencedora é pavorosa...

Felizmente, disso, não temos culpa. Foi o voto do povo.

Oh pessoas, a ver se nos entendemos!

Há muito tempo que o Festival deixou de ser uma montra de boa música. O Festival é só uma montra daquilo que ouvimos todos os dias na rádio. Aquilo foi só uma sucessão de imatações fajutas de estrelas internacionais: tivemos o Timberlake checo, o Ed Sheeran alemão, o Bieber sueco, a SIA búlgara, a Rihana eslovaca, a Beyonce cipriota e por aí fora. E como acontece na rádio em que só ouvimos aquilo que as editoras querem que se oiça, aqui também ganhou a música com o melhor marketing.

A Catarina Furtado não sabe falar inglês...

E então! Qual é o problema?

Só gostava que tivesse ganho a Espanha ou a Itália, para, no próximo ano, vermos apresentadores a falar inglês com um sotaque perfeito!

O vestido é horroroso...

Os vestidos eram TODOS bonitos. Podemos gostar mais de um e menos de outro, mas vestidos horrorosos... não vi!

A invasão de palco foi uma falha de segurança indmissível...

Nos dias que correm, desde que me garantam que não entra nenhuma bomba para dentro de um recinto, já está bom.

Ninguém canta aqueles fados melhor que a Amália...

O fado é a nossa música nacional. Fazer um esptáculo que celebra a música no nosso país, sem mencionar o fado era impossível.

Como a Amália já morreu (paz à sua alma), faziamos o quê... punhamos uma guitarra no palco e a voz da Amália nos altifalantes?

 

Numa palavra, no sábado à noite senti OR.GU.LHO.

Orgulho de pertencer a este povo que, não sendo perfeito (temos tanta coisa para melhorar), temos esta capacidade maravilhosa de fazer coisas tão bem feitas (até o Salvador se portou bem, caraças! Quando terminou a primeira música e abriu a boca para falar ainda pensei 'só espero que este gajo não se arme em engraçadinho e diga mais um dos seus disparates!')

Para os que acham o contrário, que entopem as redes sociais com veneno e comentários mal intencionados, só umas palavrinhas:

VÃO À MERDA!

 

(só mais uma coisinha: consegui reparar que o nosso júri deu 12 pontos aos espanhóis, mas nuestros hermanos nem um pontinho nos deram...eu sei que a nossa musica era fraquinha, mas ainda há a solidariedade geográfica, não há? Pelo menos entre outros países, houve... conhos de mierda!)

6 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

imagem de perfil

Blogs Portugal

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Facebook

Follow

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D