Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Não sejas engraçadinha!

Como é costume dizer nestas lides "Este é um blog sobre tudo e sobre nada"

Não sejas engraçadinha!

Como é costume dizer nestas lides "Este é um blog sobre tudo e sobre nada"

Já é Natal. Pelo menos lá em casa, já é!

É uma tradição minha.

Reparem que disse 'MINHA' e não 'nossa'.

É uma tradição recente, ainda pequenina, mas quero que ganhe raízes e, independentemente do que a vida ainda me reservar, nunca mais vai deixar de ser assim:

 A minha árvore de Natal é feita no último fim-de-semana de novembro.

Podem achar que é muito cedo, mas para mim, uma árvore de Natal passou a ter um simbolismo muito para além do Natal. Foi uma árvore de Natal, gigante e toda iluminada, que me fez tomar consciência que a minha vida tinha mudado, que não era possível continuar a fazer de conta, que nada se tinha passado.

O meu Paulo tinha morrido há pouco mais de 2 meses e nós adorávamos o Natal (ao ponto de começarmosa planear tudo, no final de setembro). Era 6ª feira, vinha a descer a Rua Augusta, a pensar como é que ia ser o Natal e se ia conseguir fazer a árvore de Natal em casa. Entrei na Praça do Comércio no exato momento em que ligaram as luzes da daquela árvore enorme e todas as iluminações da Baixa e, imediatamente, soube que não ia conseguir fazer a minha (nossa…) árvore de Natal.

Estávamos a 28 de novembro de 2014 (a black friday de 2014).

O ano passado consegui ter a clareza de espírito suficiente para perceber que, de alguma forma, tinha ultrapassado o primeiro ano de ausência do meu Paulo, e, em honra desse feito, decidi que tinha que enfeitar a casa para o Natal. E que melhor data para o fazer do que o dia em que tomei consciência que tinha que enfrentar os meus medos?

Assim, desde 2015, (sim… é mesmo uma tradição muito pequenina) em minha casa a Árvore de Natal faz-se no último fim-de-semana de novembro, para me lembrar que podemos cair, mas temos que encontrar uma forma de levantar a cabeça e seguir em frente.

Natal.jpg

Meu querido Paulo, como vês não está tão bonita como as árvores que tu fazias (por muito que tente, nunca vou conseguir ter a paciência que só tu tinhas...), mas continuo a manter a NOSSA tradição de acrescentar uma estrela e um enfeite novos todos os anos. Ah, como podes ver também, ainda não foi em 2016 que a sala ganhou cortinados...

1 comentário

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Blogs Portugal

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Facebook

Follow

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D