Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Não sejas engraçadinha!

Como é costume dizer nestas lides "Este é um blog sobre tudo e sobre nada"

Não sejas engraçadinha!

Como é costume dizer nestas lides "Este é um blog sobre tudo e sobre nada"

Feliz Natal

Para todos vocês que estão a ler isto, desejo um FELIZ NATAL, com uma mesa farta e, claro, o melhor de tudo: a família reunida e prendas. Por favor não se ponham com a conversa dos valores do Natal não terem nada a ver com as prendas e blá blá blá. Tretas!

Quando se faz anos a 21 de dezembro e se tem uma irmã mais nova a fazer anos a 23 de dezembro, aprende-se muito cedo a lidar com o facto de ter que escolher entre abrir prendas no aniversário OU no Natal, muito raramente em ambos os dias. Lembro-me de várias noites de Natal em que debaixo do pinheiro não havia uma prenda para mim, porque me foram dadas no dia 21.

Muito cedo aprendi a valorizar outras coisas. Para mim só era Natal quando passava a tarde do dia 24 de dezembro na cozinha da minha mãe, com a minha irmã, a fazer fritos de natal (e a comê-los ainda quentes) e tachos de aletria e arroz doce, ter a casa toda a cheirar a canela e laranja, e a minha mãe a fazer pratinhos para oferecer à vizinha A e à vizinha B e depois a tia Fernanda que telefona a pedir ao meu pai para ir buscar uns coscorões a casa dela, em troca de umas fatias douradas da minha mãe. Estas são as minhas recordações dos 20 anos.

Depois chegou o Paulo. O meu querido Paulo tinha alma de braço direito do PAI NATAL. Ensinou-me que dar uma prenda no Natal é dar MIMO a alguém de quem se gosta e todos nós gostamos e precisamos de mimo. Para o Paulo, o Natal era sinónimo de pensar e procurar exaustivamente a prenda que mais se adequava a cada pessoa. Não era uma mera obrigação, uma chatice que se devia despachar o mais rapidamente possível. Nos 14 anos que estivemos juntos, fui muito mimada pelo meu marido. Estas são as minhas recordações dos 30 anos.

Os meus 40 anos começaram da pior maneira possível. Mas a vida é isto mesmo, vamos aprendendo ao longo do caminho, por isso, também os 40 deixarão recordações.

Como ainda não posso olhar para trás e tirar conclusões sobre os meus 40 anos, para já apenas quero que os meus Natais sejam uma mistura de tudo o que vivi até aqui: fazer doces de Natal com a minha mãe e irmã (e sobrinha, que já tem a tarefa de passar os fritos no prato do açúcar e canela) e mimar as pessoas mais importantes para mim, com prendas.

FELIZ NATAL, divirtam-se, comam (muito!!!) , mimem-se uns aos outros e, mesmo que pareça difícil, façam o favor de sorrir.

gato-natal-1.jpgGato_3.jpg

Gato_5.jpgGato_8.png

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Blogs Portugal

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Facebook

Follow

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D