Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Não sejas engraçadinha!

Como é costume dizer nestas lides "Este é um blog sobre tudo e sobre nada"

Não sejas engraçadinha!

Como é costume dizer nestas lides "Este é um blog sobre tudo e sobre nada"

As mulheres não se sabem comportar!

Então e o teu jantar do Dia da Mulher, Rita???

Valeu pelo convívio, pela comida, pela bebida, pelas gargalhadas… mas, sobretudo, foi um exercício de ‘bora lá abstrair do local e do povo há nossa volta!

Era um restaurante com uma sala enorme, muitas mesas corridas, com muito eco. Naquela noite tinha musica ao vivo… e a nossa mesa estava praticamente em cima do palco… e das colunas de som. Saí de lá quase sem voz, porque era preciso gritar para nos ouvirmos umas às outras.

A confusão também se devia ao facto de a sala estar a abarrotar de mulherio histérico.

Nunca tinha ido a um destes jantares do Dia da Mulher e confesso que dificilmente me voltam a apanhar numa coisa destas, porque não entendo, pessoas… porque é que há mulheres que vão jantar em grupo no Dia da Mulher e acham que têm que se comportar como se estivessem numa NOITE ANUAL DE ALFORRIA???

Tenho a certeza que muitas delas não saíram de casa sem deixar o jantar feito aos seus homens e, no dia seguinte, a primeira coisa que fizeram pela manhã foi lavar os pratos do jantar dos seus homens… mas ali estavam elas, numa semi-histeria coletiva, a cantar aos berros, a assobiar, a bater palmas, aos gritos… porquê??? Qual a razão??? É só um jantar, criaturas!!!

...

Outra coisa que não pude deixar de apreciar foram os modelitos (somos gajas, não é? É mais forte que nós, está na massa do sangue!)

A maior parte do mulherio estava muito benzinho, claro que sim… mas estavam uns espécimes que VALHA-ME DEUS, deviam estar convencidas que iam para a passadeira vermelha da Gala da Coletividade Recreativa lá da rua delas, só pode… Ainda não tinha despido o casaco e já estava em estado de choque com os modelitos do trio sentado na mesa há minha frente. Tentem visualizar:

Criatura em que tudo era GRANDE, ela era mamas e rabo e barriga e pneus laterais, tudo XXL, enfiado num vestido preto... COLADINHO AO CORPO, quase uma segunda pele, ao melhor estilo 'cheguei, cheguei chegando... tão gostosa!'

Para ajudar à festa o dito vestido terminava no exato milímetro onde terminam as nádegas e, pormenor dantesco, tinha um decote nas costas que vinha quase até ao início do rabo, seria para para mostrar bem a tatuagem do OMBRO??? (dantesco porquê, perguntam vocês??? Quatro palavras apenas minhas queridas: MAMAS GRANDES SEM SOUTIEN). Classe…

As amigas, ambas igualmente bem abonadas em termos de carnes, tudo aquilo era um mundo de folhos e decotes e véus e … muito mau! Todas tinham calçado de salto bem alto com plataformas… uma delas esbardalhou-se ao comprido, na viagem de regresso do buffet… porque terá sido???

Não, pessoas, não foi a do vestido preto coladinho que caiu... Graças aos anjinhos todos do céu, vou ficar com uma dúvida para todo o sempre! Será que a criatura tinha cuecas, não se conseguia perceber o elástico da cueca, seria fio dental, não seria, não teria??? Antes a dúvida a um excesso de informação potencialmente traumatizante!

 

E pronto, pessoas, foi esta a minha estreia nesta coisa dos jantares do Dia da Mulher.

Prefiro encarar como um estudo sociológico. Despachei uns copitos de sangria e tive direito a ver de perto como é que o mulherio se comporta quando se apanham sozinhas… e... não é bonito!

3 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

imagem de perfil

Blogs Portugal

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Facebook

Follow

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D