Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Não sejas engraçadinha!

Como é costume dizer nestas lides "Este é um blog sobre tudo e sobre nada"

Não sejas engraçadinha!

Como é costume dizer nestas lides "Este é um blog sobre tudo e sobre nada"

2019... mais um passo!

Começou muito mal, com a doença do meu gato que me fez ganhar consciência dos medos que me ficaram no peito depois do Paulo morrer, logo seguido do facto da minha mana ficar desempregada…

O gato lá melhorou (está outra vez a comer como um pequeno alarve!) e Mana Querida arranjou trabalho poucos meses depois. Pensámos que a coisa ia entrar novamente nos eixos… só que Mana Querida ODIOU o novo trabalho (só se salvavam os colegas!)… continuou a procurar... já está num sítio novo…

No meio disto tudo, não tivemos férias de jeito. Não fomos à terra, quase não fizemos praia… e morreu a minha sogra.

Salvou-se o fim do ano. Cumpri uma promessa… e soube-me bem.

No dia do velório do meu Paulo, cheguei-me ao pé da urna e, silenciosamente, fiz-lhe algumas promessas. Uma delas foi a de tomar conta do Melga (tinha 19 anos). Prometi-lhe que ia estar presente, sempre que fosse preciso. Prometi-lhe que ia fazer de conta que ainda estava vivo e continuaria a pagar ao Melga uma 'pensão de alimentos'… só até o Melga ter condições para ‘caminhar sozinho’.

E assim tenho feito. Nestes cinco anos tenho contribuído financeiramente para o dia-a-dia do Melga. Não é muito, não chega para viver, ele tem que trabalhar, mas é uma ajuda.

Ao longo destes cinco anos várias pessoas me disseram para parar com isto. Já me disseram algumas vezes que estava a ser parva, que não tinha nada que o fazer, que não tenho nenhuma obrigação de o fazer, que estou a criar hábitos e que devia parar com isto… eu lá explico que a minha relação com o Melga nunca foi construida na base da 'obrigação', mas apenas naquilo que a minha consciência dita... além disso, é uma promessa ao meu Paulo... prefiro arrancar dentes a frio do que quebrar esta promessa.

No fim do verão consegui finalmente reunir condições financeiras para marcar a escritura e fazer as partilhas. Andei muito tempo a pensar na melhor forma de calcular o montante que lhe devia entregar. Um dia chamei-o para almoçar comigo e quis explicar-lhe como tinha chegado ao valor das tornas. Comecei por lhe dizer que não o queria prejudicar, mas também não me queria prejudicar, que tinha feito um esforço para chegar a uma solução que fosse justa e equilibrada. Ele interrompe-me e diz:

- Oh Rita, não precisas de me explicar mais… eu sei que contigo nunca serei prejudicado… se dizes que é esse o valor… então é esse o valor…

(já vos contei que o meu Melga é um menino querido? Às vezes tem umas ideias um bocadinho baralhadas... mas tem o mesmo fundo do pai...  é bom menino!)

No fim da escritura não fui capaz de segurar as lágrimas. Tinha um buraco no estômago...

Por um lado, senti-me triste… não consegui deixar de ter a sensação de estar a pôr um ponto final numa época da minha vida... mas também me senti feliz... cumpri a minha promessa.

...

Agora só falta cumprir uma promessa: ser uma espécie de avô Paulo dos filhos do Melga!

1 comentário

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Blogs Portugal

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Facebook

Follow

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D