Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Não sejas engraçadinha!

Como é costume dizer nestas lides "Este é um blog sobre tudo e sobre nada"

Não sejas engraçadinha!

Como é costume dizer nestas lides "Este é um blog sobre tudo e sobre nada"

46 anos

Pois é, pessoas queridas... passou mais um ano.

Esta que vos escreve e adora, faz hoje 46 anos.

QUARENTA E SEIS ANOS

É tão bom fazer anos... gosto tanto... gosto mesmo!

Parabéns para mim!

...

Ora bem, andava eu pelas páginas do google desta vida à procura de inspiração para vos escrever um post todo catita e motivador sobre esta bonita idade, para poder dizer às miúdas dos 20's e dos 30's para não terem medo, que isto dos 40's não custa nada, não é o bicho papão que nos tentam vender, quando me lembrei de pesquisar isto:

"what to expect when 46 years old" (ou seja... "o que esperar quando se tem 46 anos")...

Fiquei em choque!

As primeiras duas páginas de resultados do google (sim, só vi duas páginas, recusei-me a continuar) só falavam de:

MENOPAUSA / PERIMENOPAUSA (nem sabia que esta gaja existia)

CRISE DA MEIA IDADE / ENVELHECIMENTO DO CORPO DA MULHER e coisas afins

O que me deixou mais encanitada é que, apesar dos termos utilizados na pesquisa não evidenciarem em lado nenhum o sexo de quem faz a pergunta, o Google assumiu logo que se estava a perguntar sobre mulheres... não apareceu UM ÚNICO resultado sobre HOMENS! !

Será que as criaturas do sexo masculino, lá porque têm uma pilinha pendurada entre as pernas, não envelhecem também?

Não é também por esta idade que eles têm de começar a encarar de frente as visitas regulares à amiga próstata, enfiando um tubo num certo buraquinho muito escuro? E ninguém escreve sobre isto? E o google não encontra nenhuma página sobre este assunto tão igualmente fraturante da sociedade??? 

Estarei aqui a detetar uma violação flagrante das regras da igualdade de género?

...

De maneiras que a única coisa que posso afirmar às miúdas dos 20's e dos 30's é que aos 46 anos ainda me sinto fresca e fofa, mas ao que parece estou a um passo disto:

menopause.png

Agora vou só ali ao supermercado comprar uma ganda garrafa de tinto! Deslarguem-me!

11 anos

Já passaram 11 anos.

Ó pra ela aqui a sair do hospital, já toda fashionista, com gorro e bolero oferecido por sua tia babada.

Sim, era um bolero, mas nela era um casaco, quase sobretudo, e já repararam no dedo da minha irmã a segurar o gorro, por trás da cabeça... cabia outra outra igual a ela dentro da roupa, tudo ficava grande... enorme... mas a miúda fez-se!

CIMG0800.JPG

Parabéns Sobrinha Mai'Linda.

Diz a professora de Ciências da Natureza que é uma menina muito ponderada...

E Mana Querida, com um sorriso amarelinho, a pensar nas fitas que ela faz, sempre que tem trabalhos de casa para fazer!!!

Fazemos como os pinguins.... "é sorrir e acenar!"

Só quem anda nos transportes públicos, me compreende! #28

Mais uma história engraçada... se não fosse igualmente algo... preocupante.

Viagem de barco de ontem no regresso a casa. 20 minutos de paz e sossego... ou pelo menos assim rezo todos os dias.

Sentam-se, ao meu lado, dois jovens muito conversadores. Acho que já estavam no fim da adolescência, já eram assim bem crescidinhos, mas isto hoje em dia nunca se sabe, não é? Os Cerelacs e as papas de aveia e as proteínas fazem milagres!

Não me pereceram ser emigrantes, falavam sem qualquer sotaque, por isso não compreendi muito bem porque raio estavam tão entretidos a declamar... verbos... e foi, minhas queridas pessoas, um chorrilho de disparates. Em cada cavadela... uma minhoca!

Quando é que se utiliza o hifen 'é chamaste... ou chamas-te' ou quando é que se utiliza o 'ão' ou o 'am'.

E eu muito sossegadinha a jogar o meu Candy Crush, já com o estômago às voltas, principalmente quando oiço:

- Então vá lá... o verbo ouvir no futuro.

- Eu ouvirei...

- Ouvirei!? Isso não me soa nada bem... eu ouvirarei!

#aiosmeusouvidos

Lá me capacitei que iam ser os 20 minutos de inferno. E eles lá iam todos entretidos... a esclarecer dúvidas.

- Vá... agora o verbo poder.

- Então... eu... pudim...

- Ah sim, claro... eu pudim... tu arroz-doce... ele leite-creme...

E pronto... não consegui conter a gargalhada! Entrei no autocarro a chorar de tanto rir!

Tamos tão bem entregues!

Acabadinho de ler!

feminina.jpg

A Persuasão Feminina / Meg Wolitzer

Outra vez a Meg. Desta vez conta-nos a história de Greer, uma jovem brilhante e muito inteligente e do seu namorado Cory.

Greer nasceu numa família destruturada. Os pais são muito pouco vocacionados para a parentalidade e Greer, desde muito cedo, teve que aprender a ‘desenrascar-se’ sozinha. Cory é filho de imigrantes portugueses (o seu nome é Duarte, como o pai, nome que rejeita por achar que não é suficientemente integrador), cresceu num seio familiar diferente, mais protetor, rodeado de pais que trabalham para dar o melhor aos filhos.

Ambos são excelentes alunos e ambos têm o sonho de frequentar uma daquelas universidades americanas, chamadas de 1ª linha (Yale, Princeton, Stanford…). Ambos são admitidos em Yale, mas a tal falta de vocação para a parentalidade dos pais de Greer, traduz-se na sua incapacidade para preencher os documentos certos e Greer fica sem bolsa de estudo. Cory segue para Yale e Greer acaba por ter que se contentar com uma Universidade de 2ª linha. Já a frequentar a universidade, Greer assiste a uma palestra de Faith Frank, uma das figuras centrais na luta pelos direitos das mulheres, na América, que vai ser determinante no desenrolar do seu futuro.

Este livro é muito parecido com outro da mesma autora, de que já vos falei aqui – Os Interessantes - noa medida em que nos fala novamente nos sonhos e nos idealismos da juventude e na forma como a vida nos pode desviar de percursos já definidos.

Fala-nos muito na condição feminina um pouco por todo o mundo. A forma como o nosso local de nascimento e as nossas famílias podem condicionar todo o nosso desenvolvimento e as oportunidades que nos são colocadas. O feminismo é abordado nas suas várias vertentes, a dignidade pessoal (assédio, sexismo), a benevolência com que ideias feministas são tratadas pelas grandes empresas, a desigualdade de género originada pela pobreza, classe social ou cultural.

Temos Faith que, ao contrário do irmão, não foi para a universidade que queria porque os pais entenderam que as meninas não deviam sair de casa tão cedo. A amiga de Faith que quase morreu num aborto clandestino e, mesmo assim, passou a lutar ferverosamente… contra o aborto. A amiga de Greer, Zee, homossexual assumida desde muito cedo na vida… criada por pais juízes conservadores. Cory que, sendo homem, teve um comportamento por muitos considerado feminino, quando deixou para trás um futuro brilhante na alta finança, para cuidar da sua mãe.

É um livro que nos obriga a pensar… a mim fez-me pensar sobretudo na forma como os grandes ideais de defesa de direitos, neste caso das mulheres, mas pode ser de todo o tipo de direitos fundamentais, são tantas vezes desvirtuados em favor de princípios e interesses tão pouco nobres.

Já estão a estranhar, não é?

Estamos a 15 dias do Natal e eu ainda não comecei a publicar a minha lista de prendas...

Este ano não estou muito inspirada... deve ser do tempo... ou da idade...

Ontem ouvi este musica com mais atenção... é uma lista de pedidos ao Pai Natal... combina tanto comigo...

...

A quem possa interessar... deixo a minha lista de prendas de Natal para este ano (não se esqueçam que também faço anos!)

Inspirem-se também!

Pág. 1/2

Mais sobre mim

imagem de perfil

Blogs Portugal

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Facebook

Follow

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D