Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Não sejas engraçadinha!

Como é costume dizer nestas lides "Este é um blog sobre tudo e sobre nada"

Não sejas engraçadinha!

Como é costume dizer nestas lides "Este é um blog sobre tudo e sobre nada"

Ainda a beterraba...

Lembram-se deste post?

As minhas batalhas com a beterraba sucedem-se. Mais um episódio.

Ontem foi dia de fazer marmitas para a semana. O forno esteve toda a tarde a bombar, aproveitado até ao tutano com três pratos em simultâneo.

Fritata de espargos com tomate e queijo, folhados de salmão e queijo creme, e, em vez de grelhar umas espetadas de peru, desmanchei-as, pus tudo numa assadeira, com uma batata doce, um fio de azeite, sal e pimenta e… é o almoço de hoje, logo se vê como está…

Entretanto lembrei-me de voltar a dar nova oportunidade à beterraba… tinha comprado uma pequenina… embrulhei-a em papel de alumínio e pus no forno.

Depois de fria, descasquei e cortei em fatias fininhas, guardei numa caixa no frigorífico, vou experimentar por em pedacinhos pequeninos na salada… o resto congelo e vou pondo aos poucos na sopa… pode ser que me vá habituando ao sabor…

Enquanto a descascava voltei a estranhar o cheiro, contínuo a achar que não é nada convidativo…

Agora a parte estranha desta história…

Eu sei que abri o papel de alumínio, tratei da beterraba e amachuquei o papel de alumínio.

Não me lembro de ter deitado o papel de alumínio no lixo… já dei voltas à cabeça e não consigo lembrar-me do ato de deitar o papel no lixo.

Hoje manhã entrei na cozinha e, como sempre, a primeira coisa que faço é dar ração ao gato e limpar o WC do bicho.

Estava eu a retirar cocós e xixis quando encontro... o papel de alumínio onde assei a beterraba… bem enterrado na areia do WC do gato.

Algures durante a noite, o bicho deve ter encontrado o papel e deve ter tentado brincar um pouco com ele, mas o cheiro da beterraba não deve ter agradado e resolveu ir pôr o papel malcheiroso no sitio onde é costume deixar as coisas malcheirosas...

Pronto... acho que a batalha da beterraba acaba aqui…

Bom fim de semana

Fim de semana grande...

Para os lisboetas uma semana ainda mais curta com feriado na 5ª feira...

Santo António pelo meio... sardinhas, febras, caracóis, tremoços e imperiais...

Tudo o que se quer para uma semaninha já a cheirar a férias, não é?

#soquenão

...

No dia 12 tenho greve na Soflusa e nos TST.

Não tenho barcos (pelo menos na hora de ponta), nem autocarros para ir trabalhar... sobra o comboio da ponte...

Mesmo com a previsão de haver menos pessoas, sendo a única forma de atravessar o rio, com exceção dos barcos da Transtejo... 

Vai ser tanto calor humano...

A minha prima Mafalda partilhou esta imagem comigo no FB:

FB_IMG_1559365433831.jpg

Que grande ideia do A. Gaspar...

Acho que este fim de semana vou andar por lojas diferentes do costume...

Vou investir num bom capacete...

Só quem anda nos transportes públicos, me compreende! #29

Há quanto tempo não vos brindava com uma história passada nos transportes públicos, não é?

Já tinham saudades, não tinham?

Viagem de autocarro. Fila para entrar. Pequena jovem adulta chega e fica atrás de mim. Vinha a falar ao telemóvel, naquele volume de voz que incomoda. A conversa era sobre a qualidade do sermão do pastor, a falta de capacidade do pastor para se impor e o facto de ela estar a ser prejudicada, no seio da igreja, porque queria aceder a um lugar de maior destaque na organização.

O autocarro chega.

Penso ‘por favor… Tu que estás aí em cima… não me faças fazer uma viagem de uma hora com esta criatura sentada perto de mim…’ 

Entro. Sento-me logo atrás do motorista. Pequena passa por mim e não a oiço mais.

Respiro de alivio.

O autocarro arranca... oiço a sua voz… no banco logo atrás do meu…

Quase UMA HORA de viagem com esta criatura a falar no pastor, no sermão do pastor, nas graças que Deus tem reservadas para ela e que ela tem que estar atenta para as receber…

Saiu do autocarro umas paragens antes da minha, não sem antes referir:

“Satanás tem me feito guerras na faculdade… eu estou sentindo!”

A senhora que ia sentada ao meu lado até deu um salto da cadeira!

A malta anda embeiçada com o sermão do pastor e com as tricas e futricas da igreja, não se agarra aos livros para estudar e depois a culpa é do Satanás… ai o Satanás tem as costas muito largas!!!

...

Sabem o que vos digo… há mulheres que simplesmente não merecem a invenção da máquina de lavar roupa… um tanque de roupa suja, duas vezes por semana, mantinha tanta cabeça tão mais ocupada!

Os provadores da lojas... esses antros de devassidão!

Já todas nós vimos um pouco mais do que queríamos nos provadores das Zara e Mango desta vida. De vez em quando lá se vê um pouco mais de carne do que a necessária, mas por norma, as pessoas têm o cuidado de se precaver, em fechar a cortina o melhor que podem e só abrir quando estão compostas, não é?

É... oh melhor, é… em algumas lojas…passo a explicar:

A nossa adolescente preferida fez anos no final de maio e ainda não lhe tínhamos dado uma prenda. Na sexta-feira passada, depois do trabalho, combinámos e lá fomos, junto com a nossa pré-adolescente preferida, ao Almada Fórum, jantar e comprar uma prenda.

Aos 17 anos, a melhor prenda do mundo é… roupa, claro!

Acabámos todas no provador da Bershka. É uma loja por onde eu e Mana Querida passamos sem olhar e que tememos profundamente, porque a nossa pré-adolescente preferida está a aproximar-se a passos largos do fim de linha da Zippy… o que nos deixa um bocadinho apreensivas!

Ora, estavam as nossas duas pequenas enfiadas no provador a mudar de roupa e eu e Mana Querida cá fora, uma de cada lado da cortina, à espera, quando o mundo desabou!

Nas costas da minha irmã vejo uma pequena, com menos de 20 anos, a sair do provador num vestido preto todo colado ao corpo, com as costas e parte da barriga à mostra… tudo bem, não sou púdica, mas o que aquela pequena se rebolou à frente do espelho, a treinar as stories do Insta… ela espetou o rabo, as mamas, ela torcia-se e contorcia-se e fazia boquinhas… e punha o cabelo em coque…

Olho para Mana Querida que olhava para o que se passava nas minhas costas e o seu queixo chegava aos joelhos…

Estava outra pequena, já não tão pequena como desejava, num provador, de cortina aberta, a tentar enfiar um rabo GRANDE numas calças MINI (é a Bershka, ok?). Até aqui tudo bem, não fosse o caso da pequena (não tão pequena) estar nua da cintura para cima… não estava de soutien… estava NUA.

Ora, digam-me lá:

O que é que acontece quando tentamos enfiar umas calças apertadinhas? Começamos aos saltinhos, não é? Naquela tentativa de pôr a gravidade a nosso favor…

E o que acontece às nossas mamas quando pulamos sem soutien?

BOING, BOING, não é?

Ato continuo… as nossas adolescente e pré adolescente abrem a cortina do provador para mostrar um top…

A cara da minha sobrinha a ver umas mamas aos saltos… impagável!

Nós temíamos a Bershka, porque os modelos e os tamanhos são para miúdas, começar a comprar roupa ali, significa que a minha sobrinha já não é criança… agora o nosso temor é de um outro nível.

Aqueles provadores são a twilight zone!

Oh pessoas... tenham juízo!

Já sabem que agora utilizo o autocarro dos TST para vir trabalhar.

Antes dos novos passes, os TST cobravam um passe específico, só para esta carreira, que custava a módica quantia de 120€ (ouvi hoje). Agora, com o passe único de 40€, a malta não pensou duas vezes, vai tudo para o trajeto que tem menos transbordos (a juntar à confusão instalada nos barcos da Soflusa...). Os autocarros começaram a  ficar cheios na 2ª ou 3ª paragem. Os passageiros da Moita começaram a ficar apeados.

Os TST já responderam ao aumento da procura e, desde 2ª feira, reforçaram o número de autocarros. Agora, entre as 6h30 e as 8h30 há um autocarro a cada 10 minutos. Mesmo assim, os autocarros andam muito cheios. Os passageiros da Moita continuam a ter dificuldade em entrar.

Para mim, a solução passa por reclamar junto dos TST e pedir que parte dos novos horários passe a iniciar o trajeto na Moita e não no Vale da Amoreira.

Mas  isso é... para mim e para mais alguns passageiros... porque depois há os outros passageiros... que em vez de reclamar mais e melhor serviço dos TST... reclamam das... pessoas!

Tenho ouvido tanto disparate por estes dias... histórias de bradar aos céus:

- Abaixo-assinados a pedir o retorno dos passes antigos (os tais dos 120€), numa lógica de 'quando os passes eram caros, a carreira dava para nós... então que voltem...'

- Tentativas de bloqueio de estrada, para não deixar passar os autocarros, com frases de ordem do tipo 'se não consigo ir trabalhar, então vocês também não vão...'

- Pedidos à TST para que a carreira deixe pura e simplesmente de iniciar o trajeto no Vale da Amoreira... (o Vale da Amoreira é o bairro 'problemático' do concelho da Moita que fica muito encostado ao concelho do Barreiro, como todos os bairros 'problemáticos' tem muita gente que não interessa a ninguém, mas também tem muitas familias de gente trabalhadora e honesta, que só querem ir trabalhar e sustentar os filhos), num lógica de 'os arruaceiros estão servidos e nós, pessoas honestas, ficamos a vê-los passar...'

 

Sabem o que vos digo... as pessoas são más! São mesquinhas umas para as outras...

Ontem, dei mais um passo

Quando eu e o meu Paulo comprámos a nossa casa, tínhamos muitas ideias sobre o que queríamos ou gostávamos de ter em termos de espaço e comodidades. Uma das coisas que queríamos mesmo ter era um bichinho destes:

smeg.jpg

Vermelho, pequenino… tão lindinho!

A casa tinha cozinha equipada. Tinha um frigorífico encastrado, mas nós já sabíamos que os congeladores dos frigoríficos encastrados são, por norma, muito pequenos, ia ser pouco para as nossas necessidades, eramos três pessoas em casa, fazíamos compras de talho e peixaria para o mês todo e, além disso, nós queríamos taaannto um vermelhinho destes…

Um dia, estávamos na InterCasa, na FIL, e passamos por um stand de uma loja de eletrodomésticos que tinha em exposição a linha completa destes eletrodomésticos. Perguntámos o preço do frigorífico… estavam a fazer preço de feira… uns 300€ abaixo daquilo que me pediram numa loja no Barreiro… não pensámos duas vezes!

Pedimos ao construtor que substituísse o frigorífico de encastrar por uma arca congeladora vertical de encastrar… et voilá, ficámos com o nosso vermelhinho e com a questão do espaço de congelação resolvida.

A arca andava a precisar de ser descongelada. Ontem de manhã, depois de voltar a lutar com as gavetas, lá me convenci a tratar do assunto…

Depois de limpa, decidi não voltar a ligar…

Já há algum tempo que andava a pensar que era um desperdício de energia ter uma arca congeladora de 6 gavetas ligada… para apenas uma pessoa. Acho que já estou naquela fase em que defini as minhas rotinas. Já não faço compras 'ao mês', agora é 'semana a semana', por isso, acho que o mini-congelador do meu vermelhinho é suficiente para mim.

Ontem dei mais um passo nesta minha mudança da ‘nossa casa’, para a ‘minha casa’.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Blogs Portugal

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Facebook

Follow

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D