Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Não sejas engraçadinha!

Como é costume dizer nestas lides "Este é um blog sobre tudo e sobre nada"

Não sejas engraçadinha!

Como é costume dizer nestas lides "Este é um blog sobre tudo e sobre nada"

Pareciam gaivotas!

Ontem fui à praia com Mana Querida e prima Sofia.

Três gajas que não gostam de perder tempo em filas, nem andar às voltas à procura de um lugarzinho para largar a viatura, por isso, eram 8 horas da manhã e já estávamos com a toalha estendida no areal da praia da Rainha, na Costa da Caparica.

Quando chegámos, a maré estava vazia mas tivemos o cuidado de montar o estaminé um pouco afastado da linha de areia molhada que nos indicava onde é que água tinha chegado na última maré cheia (não é inteligência, meus queridos, é só experiência, são os frutos que se colhem quando já se está nos 40).

O dia prometia muito sol, calor com fartura e há medida que a manhã avançou, o areal começou a encher e a encher… assim como a maré… resultado, lá pela uma da tarde as primeiras ondas começaram a incomodar quem se tinha instalado à nossa frente, dando início ao típico movimento de construção de muros de areia e os primeiros recuos de toalhas e chapéus.

A logística do espaço foi-se complicando, porque, lá está, todos queriam fugir da água, mas todos queriam ficar à beira da água.

...

Pelas duas da tarde veio uma onda que, apesar de não nos incomodar, chegou muito perto. Olhámos para o relógio e decidimos que era uma boa hora para levantar o estaminé.

Conhecem o filme do Nemo, naquela cena em que os peixinhos fazem tudo devagarinho para as gaivotas não darem por eles… foi mais ou menos assim que nos vestimos, com dezenas de olhos sobre nós, tudo a preparar-se de forma sorrateira e a colocar-se estrategicamente para ocupar o nosso metro quadrado de areal. Até dava arrepios!

...

Houve uma criatura que não se aguentou e, assim que a prima Sofia levantou a sua toalha, espetou o chapéu-de-sol mesmo atrás dela… a rapariga até deu um salto, mais um pouco furava-lhe um pé!

...

Arrumámos a trouxa e abandonámos o local sem olhar para trás… não sabemos se houve feridos!

sem nome.png

 Aproveito para referir mais uma questão que me encanita:

Por alma de quem é que famílias inteiras chegam à praia pelas 11 da manhã (ou mais…) e acham que podem ficar colados a quem já lá está (quando digo ‘colados’, quero dizer ‘praticamente ao colo’)?

Pessoas queridas, se querem ficar a manhã na cama, estão no vosso direito, compreendo que nem todos sejam alucinados como a minha família que nos levantamos de madrugada para um dia de praia, MAS existe um ditado que diz não se pode ter sol na eira e chuva no nabal’ quer isto dizer que se ficam a manhã na cama não podem chegar à praia e achar que se podem instalar na linha de água, num comportamento de cheguem pra lá que este metro quadrado é mesmo ideal para pôr os nossos dois chapéus-de-sol, mais a tenda para as nossas crianças que gostam de brincar com areia e água’… e quem está que se arrume!

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

imagem de perfil

Blogs Portugal

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Facebook

Follow

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D