Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Não sejas engraçadinha!

Como é costume dizer nestas lides "Este é um blog sobre tudo e sobre nada"

Não sejas engraçadinha!

Como é costume dizer nestas lides "Este é um blog sobre tudo e sobre nada"

Carolina

A Carolina foi a nossa primeira bebé. Durante vários anos, foi a nossa única bebé.

Já havia outros bebés na família, claro, sempre houve (somos muitos, não é!), mas a Carolina foi a primeira bebé no nosso núcleo de primas mais próximo.

Lembro-me muito bem da noite em que nasceu. Era 6ª feira, estava com o meu Paulo a caminho de casa, passava das dez da noite, cansados depois de mais uma semana (nessa altura eu trabalhava e estudava à noite) e, ao passar a ponte 25 de abril, recebo uma chamada da minha irmã “Vai nascer, vai nascer…estamos aqui no hospital!”.

O hospital era o Garcia de Horta, mesmo ali ao lado. O meu Paulo olhou para mim e, nem precisei pedir, apercebeu-se da excitação e levou-me para lá (de repente o cansaço já não existia).

Estava a família toda à espera, o pai, os avós, os tios-avós, a tia e o namorado, as duas primas e respetivos pares (sim, temos a nossa costela cigana que se manifesta de forma muito aguda em situações destas).

Ficámos todos a conhecê-la à saída da sala de partos. Chegou já depois da meia-noite, sábado, 25 de maio de 2002, curiosamente, o dia em que eu e o meu Paulo fazíamos, precisamente, 9 meses de casados.

Fomos todos à visita nesse sábado à tarde. Foi a primeira vez que peguei num bebé que ainda não tinha 24 horas. Era mínima e redondinha. Até hoje, a Carolina foi a bebé mais perfeitinha que alguma vez vi. O nariz, os lábios, os olhos, tudo na proporção certa, parecia desenhada a lápis. Não tinha uma manchinha vermelha, nem borbulhinhas, a pela lisinha, branquinha.

 

A nossa Carolina faz hoje 15 anos. É a nossa única adolescente.

Por estes dias as suas grandes preocupações prendem-se com o Baile de Finalistas do 9.º ano. O que vestir e calçar? Quer levar um vestido comprido (claro!), mas só quer ir procurar com as amigas (somos todas umas cotas, não percebemos nada de vestidos para festas de gala!) e depois regressa a casa e confessa que teve vergonha de entrar nas lojas para ver. Quer levar sapatos de salto alto, mas até hoje só usou ténis (tem tudo para correr bem, não tem?)

Nas últimas férias da Páscoa, depois de puxarmos o assunto, lá nos confessou que ‘quando for grande’ gostava de ir para a faculdade, gostava de seguir a área da saúde, o que nós apoiámos vivamente... e depois diz:

'O que eu gostava mesmo era de fazer autópsias, sabes, como se vê no CSI!’

- aaahhhh...OK...

 

Parabéns minha querida Carolina.

Que a vida te sorria sempre. Se não conseguires ser a doutora que corta os corpos e saca as entranhas todas cá para fora (imagem tão bonita, não é?), podes sempre ser aquela nerd que está nas traseiras no meio dos microscópios e dos supercomputadores a analisar manchas de sangue e de saliva ou impressões digitais, 'como se vê no CSI!'

Lembra-te que podes ser aquilo que quiseres e gostares, só depende de ti, e nós vamos estar aqui para te ajudar!

Carol14.jpgCarol Mota2.jpgCarolina3.jpg

3 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

imagem de perfil

Blogs Portugal

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Facebook

Follow

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D