Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Não sejas engraçadinha!

Como é costume dizer nestas lides "Este é um blog sobre tudo e sobre nada"

Não sejas engraçadinha!

Como é costume dizer nestas lides "Este é um blog sobre tudo e sobre nada"

Só quem anda nos transportes públicos, me compreende! #16

Barco das 7h55.

Duas das últimas pessoas a entrar vêm sentar-se ao pé de mim (uma atrás e outra ao meu lado).

Enquanto se sentam, o barco sai do cais.

Diz a piquena sentada atrás de mim, muito indignada:

- Tás a ver, afinal de contas este é o barco de que horas... que horas são?

- 7 e 58.

- Tás a ver... está a sair atrasado. Afinal este barco é das 7 e 55 ou de que horas? Esta gente não cumpre horários. Têm que se responsabilizar... se sai atrasado a companhia tem que se responsabilizar por danos aos passageiros. Se não chegar a horas ao meu destino.... blá, blá, blá

...

Vamos por partes:

Os horários são para cumprir. SIM.

Vivemos num pais em que não pode ser considerado um atraso quando um transporte público sai com 3 minutos de atraso: SIM

Porquê?

Porque vivemos num pais em que é mais fácil encontrar um unicórnio do que alguém ou alguma coisa cumprir horários: SIM

 

Portanto, resumindo, baralhando e concluindo, temos uma criatura que chega ao barco já atrasada e mesmo assim reclama porque o barco está a sair atrasado.

Então esta criatura não percebeu que se o barco tivesse saído às 7 e 55 EM PONTO, ela não tinha apanhado aquele barco... pois se quando entrou no barco já passava um ou dois minutos da hora.

A malta nem sabe do que reclama.

...

Eu devo estar a ficar muita velha e muita picuinhas (e ainda faltam 20 anos para a reforma...)

E como não há duas sem três…fomos ao brunch outra vez!

A grupeta do costume, juntou-se mais uma vez para experimentar outro brunch de Lisboa. Fomos 6 gajas e duas crianças (uma com 10 e outra com 2 anos).

Já se sabe que isto aqui é malta que não anda propriamente a nadar em dinheiro, se juntarmos isso ao facto de o Natal ter sido há apenas um mês, está bom de ver que as carteiras andam um pouco leves para grandes aventuras. Assim, a escolha recaiu sobre o Brunch do Hotel Real Palácio, ali mesmo coladinho à igreja de S. Sebastião da Pedreira (junto ao Corte Inglês).

Finalmente fui experimentar o tal brunch em modelo buffet, pela módica quantia de 18,00€/adulto.

Então vamos lá às minhas impressões:

A sala era a típica sala de refeições de um hotel de 5 estrelas, com uma decoração cuidada, mas um pouco datada: mesas redondas, toalhas de pano até ao chão, guardanapos de pano, empregados muito solícitos a encher os copos de água e a limpar qualquer deslize dos clientes. Havia um pátio exterior que no verão deve ser uma delícia, mas muito pouco convidativo por estes dias.

Sabem aquela imagem que temos dos brunchs, as bowls de iogurte, cereais e fruta, as tostas com abacate e os ovos benedict? Esqueçam… aqui não encontram nada disso.

A mesa tinha de tudo um pouco: croissants, vários tipos de pão, scones, vários tipos de queijos e carnes frias, compotas, vários tipos de saladas, croquetes, rissóis, chá, café e sumos vários. Nos quentes havia os ovos mexidos (com uma espécie de panquecas que, sinceramente, foi a única coisa que não gostei muito), bacon, salsichas, cogumelos salteados. Havia também fruta e sobremesas várias. O ponto forte é a mesa do showcooking onde uma empregada do hotel preparava na hora pratos quentes de massa ou risotos, a partir dos ingredientes escolhidos pelos clientes. A pensar nos mais pequenos, havia também sopa (um simples creme de legumes) e esparguete com carne picada.

Por falar nos mais pequenos, outro ponto forte é a zona de brincadeira para as crianças, supervisionada por outra empregada do hotel, com atividades para os mais pequenos (naquele sábado estiveram entretidos a fazer bolachinhas).

 

Concluindo:

A minha primeira impressão foi que este brunch estava tão datado como a decoração da sala. Alguém me disse que este já foi considerado o melhor brunch de Lisboa, há cerca de dois anos, quando abriu, era preciso marcar mesa com mais de um mês de antecedência. Neste sábado não vi nada disso. A sala estava composta, mas não havia filas.

A minha primeira conclusão foi que não se adaptaram aos novos tempos e por isso, seria uma questão de tempo até terminar, mas... depois... fiz a digestão, pensei melhor, e acho que... afinal têm todo o direito em 'não ir em modas'. Acharam por bem manter-se iguais a si mesmos e... acho muito bem.

Depois de ter comido como uma alarve (sim pessoas, sentei-me às 12h30 e só me levantei muito perto das 15h00), o que é certo é que tudo estava bem confecionado, bem temperado, não dei conta de ter havido falta de alguma coisa na mesa.

Este é mesmo um ‘Brunch para Famílias’.

Pode ser diferente aos brunchs da moda, mas também tem o seu lugar. Não consigo imaginar pegar nos meus pais e convence-los a 'almoçar' num café, cheio de jovenzinhos, com um menu à base de iogurtes com cereais, panquecas com mel ou nutella e batidos de fruta, mas consigo imaginá-los neste hotel a almoçar calmamente, por um preço muito simpático. Foi isso que vi no sábado, familias e grupos de amigos, alguns com mais idade outros ainda com filhos pequenos, que aproveitavam para almoçar num ambiente descontraido q.b... (onde, ainda por cima, é possível pedir uma garrafa de vinho para acompanhar a refeição).

Voltarei concerteza!

Este país pequenino... que me tira do sério!

Hoje acordei com esta notícia, na RTP3:

limpeza.jpg

Então é assim:

A Câmara de Amarante (e se calhar não é a única) cobra uma taxa de pouco mais de 10,00€ às pessoas que se apresentam para denunciar a falta de limpeza de terrenos.

No caso em concreto, a pessoa que foi fazer queixa tem a sua casa cercada de terrenos por limpar (um autêntico barril de pólvora). Quando a funcionária da Câmara lhe pediu os 10 euros... desistiu da queixa. Diz que não tem nada que pagar, quando a culpa é dos vizinhos.

É este o nosso país!

O país onde o Estado tem que dar tudo!

Será possível que não passa na cabeça destas pessoas que a Câmara para iniciar o processo vai ter despesa:

tem que ir ao local verificar se a queixa tem fundamento, tem que enviar notificações aos proprietários...

Neste caso parece que a Sra. tem razão em se queixar, eu tinha medo de viver num sítio assim, mas imaginem uma situação de 'picardia' entre vizinhos e a Câmara conclui que os terrenos até estão limpos... é para evitar este tipo de situações que se cobram taxas... para que as pessoas façam bom uso dos recursos municipais, que são recursos limitados, pagos por todos nós.

...

Mas pronto... no próximo verão, se o fogo andar lá pelos lados de Amarante (e não estou a desejar mal a ninguém, só desejo que o fogo ande longe de todos nós), esta Senhora e outros amarantinos vão ficar a pensar que por causa de DEZ EUROS não acionaram os serviços da Câmara que lhes podiam proteger as CASAS.

Se não servir para mais nada, serve pelo menos para vir para as camaras de televisão dizer 'eu fiz tudo o que estava ao meu alcance, mas não serviu de nada!'

Bom dia

Mais umas pérola dos meus tempos de menina e moça.

Pareceu-me adequada ao dia de hoje.

Enjoy!

The Bangles - Manic Monday (1985)

Have to catch an early train
Got to be to work by nine
And if I had an airplane
I still couldn't make it on time
'Cause it takes me so long just to figure out
What I'm gonna wear
Blame it on the train
But the boss is already there

 

Tão eu... esta manhã!!!!

Oh pá... tão bom!

Até pode ser uma tradição lá n'América... isto de pedir quadros para decorar a Casa Branca...

A senhora que tomou esta decisão, até pode vir a pagar caro... tendo que deixar o lugar que ocupa...

... mas vai, com certeza, de alma lavadinha!

Tao-bom.png

(para saber mais, clicar na imagem!)

Pág. 1/4

Mais sobre mim

imagem de perfil

Blogs Portugal

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Facebook

Follow

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D